Envelhecer é uma barra. Sentir o seu corpo falhar, nunca será simples, nem para os mais otimistas. Para nós mulheres, existe uma carga a mais – o preconceito – nesse mundo machista e jovem, onde homem pode tudo e mulher não pode nada, tudo fica mais dramático e injusto.

Todos (inclusive nós mulheres), aceitamos como normal a barriga de chop no macho, mas não no da fêmea. Ninguém fala sobre as rugas deles, mas falam delas. Não preciso desenhar pra mostrar o quanto sofremos com toda essa cobrança, não é mesmo?!

Quantas mulheres a beira dos 40 anos, começam a entrar em pânico?! já ouvi amigas afirmarem que não sabem envelhecer, que estão com receio ou ficando depressivas.

Eu, já tive receio (confesso, ainda tenho de tempos em tempos), eu, me incomodo com algumas partes do meu corpo pelo simples fato de não serem mais jovens (penso naquela cirurgia plástica com mais força ainda), eu, não quero me entupir de remédios (mas preciso tomar alguns diariamente), eu, gostaria de ter mais colágeno na pele (mas não tenho mais), eu, não tenho mais o mesmo rendimento na ginástica (PQP), eu, mais uma porrada de coisas (fato consumado).

Enfim, todo cenário se torna ainda mais caótico, se a sociedade passa a excluir e tratar o ato de envelhecer de uma maneira excludente e perversa. Aceitar as mudanças do corpo e da mente, se tornam um grande fardo. Passamos a enlouquecer com mais uma ruga no rosto, entramos de cabeça na corrida contra o tempo.

Piramos com os tratamentos estéticos, nos afundamos em dor e sofrimento, 

e, o porquê de tudo isso?!

Uma parte é nossa. Verdade. Nosso temperamento, e, o quanto damos de importância e valor para essa tal de juventude eterna vai nos afetar mais ou menos, superficialmente ou profundamente. Mas, a parte pela qual a sociedade é responsável, essa a gente pode amenizar, mudar, exigir inclusão e visibilidade.

Nesse caso, a estória da modelo Isabella Rossellini é muito emblemática. Afastada de uma marca de beleza aos 42 anos, por conta da sua “velhice”, hoje, aos 65 anos, ela foi recontratada, pela mesma marca de beleza, justamente porque os conceitos estão mudando.

Os bons ventos sopram no horizonte. O que isso significa?!! Muito. A sociedade está mudando, estamos equilibrando as forças, fazendo as pazes com o envelhecer, afinal ele tem um lado positivo. Acreditar que a idade é um mero número, nos incentiva e ampliar o nosso universo de novas possibilidades. Criamos coragem para deixarmos a máscara da juventude de lado.

Envelhecer perde o peso, se torna parte da normalidade, da vida e do nosso processo. Acreditar na beleza da mulher mais velha é uma quebra de paradigmas, uma nova normatização e o fim de uma ditadura da beleza única e exclusivamente para as mulheres jovens.

As mulheres se sentem excluídas

As mulheres se sentem rejeitadas

Mudança de comportamento

Definição de uma beleza plural

Isabella Rossellini forteller om da hun fikk sparken

– They let me go at 42 because they told me I was too old to represent women's dreams. #kvinnedagenWatch our talk show interview with Isabella Rossellini here: https://www.youtube.com/watch?v=zRa7UptZ3qw

Posted by Skavlan Talkshow on Thursday, March 8, 2018

** A entrevista  abaixo da modelo e atriz Isabella Rossellini é em inglês, infelizmente eu não encontrei com tradução.

Posts relacionados

  • A Disciplina e o Princípio da Incerteza
    Quem te disse que tudo na vida precisa ter uma regra específica?! quem te disse que não seguir essa mesma regra estabelecida é um sinal de fracasso?!não me canso de presenciar discussões sobre educação de filhos, carreira e sucesso,... Continue lendo
  • Workshop – Menopausa
      Hoje quando eu acordei, já sabia que durante o meu dia, teria que reservar um tempo para eu me concentrar, logo mais faria um workshop sobre um tema tão presente na minha vida – Menopausa – junto das... Continue lendo
  • As máscaras {ou buraco negro}
    Lá na década de 90, Eu, LuMich fui uma estudante de teatro. Minha familiaridade com as máscaras do teatro grego me deram a possibilidade de criar personagens por trás delas. Pra quem não sabe, as máscara surgiram nas festas... Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *