Carta aberta à Adriana

Eu começo essa carta contando pra você o impacto que foi descobrir sobre a sua doença. Lá estava eu na minha cidade preferida no mundo (você sabe bem qual), quando ao passar os olhos pelo meu feed do Instagram, me deparo com sua foto, reparo no símbolo preso na sua camisa branca, imediatamente ele me chama à atenção – o símbolo do câncer de mama. Paro na foto, rapidamente foco na legenda. Começo a ler, ao mesmo tempo começo a sentir um frio na espinha, nele você nos conta “Eu estou com câncer de mama”.

Naquele momento eu nem sabia direito o que pensar, minha reação foi automática, comecei ali mesmo no restaurante a escrever uma mensagem, nela escrevo sobre a minha torcida e vibração pela sua pronta recuperação. Eu confesso, sempre li e ouvi falar de alguém que conhece alguém que um dia passou pelo câncer de mama, mas nunca alguém tão próximo como você. Fiquei muito tocada.

Eu sei, andávamos distantes é bem verdade, talvez tenhamos nos perdido um pouco, tanto faz, como você mesma me disse isso foi apenas fisicamente, porque sempre estivemos ligadas em pensamento e coração. Mas, então porque eu escrevo essa Carta Aberta à Você, afinal toda carta aberta tem a finalidade de explicitação do remetente. Na verdade eu escrevo pra falar de alegria e amizade, pra lembrarmos juntas o quanto já nos divertimos nessa vida, afinal as doenças do corpo se combatem com muita alegria. Família e amigos são sempre uma fonte imensa de acalento nesses momentos, onde a vida nos faz parar e recomeçar.

Não sei se você se lembra, nós nos conhecemos em um evento que eu havia organizado, era um encontro com uma atriz e com blogueiras de beleza, um bate papo informal naquele NailBar cercado de esmaltes e bebidinhas. Na verdade, eu já conhecia a sua irmã Fernanda, foi ela quem te levou no nosso    evento. Chegando, nós fomos apresentadas uma para a outra, e, a partir daquele dia, nós nos tornamos amigas e passamos a nos falar mais e mais, até começarmos a criar nossos projetos juntas.

Eu sempre me diverti com você e você comigo, ríamos muito durante aqueles eventos de beleza que frequentávamos, lembra?! Sentávamos obrigatoriamente sempre uma do lado da outra, o tempo que passávamos juntas nunca era suficiente pra encerrar o assunto, sempre faltava tempo para terminar uma fofoca ou um outro assunto pendente. Às vezes, chegávamos ao ponto de ficar depois de terminado o evento, conversando no carro ou na porta do lugar horas a fio até, decidirmos ir embora.

Quando começamos a gravar na minha casa, o finado “Oh My Gloss”, mais falávamos do que gravávamos. Primeiro, nós 3 demorávamos horas até entramos num acordo durante as gravações, sempre rolava uns ataques de riso, umas discussões e no final das contas nunca conseguíamos cumprir nossa tabela de vídeos mensais. Éramos um horror, vamos combinar?! um trio complicadíssimo, cheio de mulheres mandonas, mas certamente muito, muito divertido. Os bastidores que o digam (e o nosso Denny também).

E quando, você e a Fernanda brigavam?! Eu era um espécie de mediadora dessa dupla, ouvia um lado dava um veredicto, ouvia outro lado mudava o veredicto. Vocês me deixavam enlouquecidas, mas eu sabia que no fundo era tudo “coisas de irmãs que se amam”. Afinal, quem tem irmã (e, eu tenho) sabe muito bem do que se trata essa complicada e genuína relação, tudo no final acaba em pizza. Vocês nunca se largaram no final das contas.

Uma vez, tínhamos agendado de gravar em um salão de beleza, lebram?! antes, eu preciso dizer que sempre fui muito pontual (até demais), mas quando eu marcava com as irmãs Waibel & Félix, eu utilizava uma tática secreta – ok, nem sempre dava certo – aliás, nunca deu certo (mas, eu tentava). Eu já dava um desconto pelo possível atraso de no mínimo uns 30 minutos. Nesse dia, devo dizer que vocês se superaram, conseguiram atrasar muito mais do que os 30 minutos habituais. Conclusão: eu tentei corrigir o atraso dirigindo como uma alucinada até o salão, pra tentar diminuir ele. Durante todo nosso trajeto, você resolveu filmar aquela cena de filme de ação estrelado por Tom Cruise – Missão Impossível – nós ríamos, eu dirigia, nós atuávamos juntas, eu dava umas broncas pelo atraso, enquanto isso você lá fazendo Snapchat e gravando um Vlog. Ah claro, você também aproveitava para dar mais uma geral na maquiagem, sim, sua maquiagem precisava estar impecável, sua marca registrada.

Por conta dessa paixão por maquiagem, eu, carinhosamente te apelidei de Coelha. Adivinhem o porquê?!! quem conhece blogs de beleza certamente conhece a Camila Coelho, uma das blogueiras sinônimo de maquiagem. Pois bem, pra mim a Adriana era a segunda na linha sucessória nesse quesito. É verdade, também tínhamos outros apelidos internos, mas estes são muito íntimos para serem falados por aqui. Acho que eu apanho de você, melhor não, né?!

Voltando ao atraso em si, até hoje eu não sei de quem foi a culpa por ele, tenho as minhas desconfianças, provavelmente nunca saberei quem foi a verdadeira “Atrasada Jundiaiense”, entre essas irmãs blogueiras. Dri ou Fê?! por falar nisso, só para constar, a prévia daquela gravação ficou hilária.

Enfim, tivemos esses e outros tantos momentos juntas, foram muitas conversas pelo WhatsApp, muito eventos de beleza, muita troca e muita cumplicidade. Hoje, você certamente passa por uma fase – eu não vou falar a mais difícil, ok?! – mas sim, uma fase particular, uma fase de maior recolhimento, introspecção, espiritualidade e principalmente auto conhecimento. Novas possibilidades surgirão, reforce sempre a sua esperança e a sua fé em você mesma. Você sempre foi uma pessoa linda por fora, agora vai ficar mais linda por dentro.

Dri, conte comigo, lembre-se daquele dia tão especial, divertido e cheio de muita alegria, risadas, que passamos juntas, que essas fotos possam cobrir você de muito amor e carinho. Como disse a Fê “Sua luta é a nossa também”. Continue vibrando positivamente!! (Ps: minha promessa continua de pé…)

Um beijo carinhoso, LuMich

15 de Agosto de 2017

 

Coque Donut – OMG

Já contei várias vezes aqui no blog da minha falta de habilidade em saber diversificar o meu penteado, sou monotemática quando se trata de improvisar um a não ser que eu vá até um salão de beleza, caso contrário eu opto pelo básico dos básicos ~ cabelos soltos ou rabo de cavalo ~ onde o grau de dificuldade não chega a ser alto, não é mesmo?! rsrs

Enfim, nas minhas andanças pelo Japão, eu me aventurei por uma farmácia, confesso que foi uma grande aventura, mas vou deixar essa aventura para o próximo post…vou apenas dizer que sai dela com um spray de cabelo, e chegando em casa pensei “Porque diabos comprei isso, se não faço penteados no meu cabelo?!”, precisei então, recorrer ao Oh My Gloss e aproveitamos pra gravar um vídeo super interessante, agora só resta saber se um dia eu conseguirei reproduzir o tal coque donut sozinha?!!

Material

collage

Divas e seus Donuts

collage collage
Fotos: Reprodução/ Vídeo: Oh My Gloss!

Vídeo novo – OMG!

Papo de mulher é sempre muito divertido, não é mesmo?! por isso, hoje o papo do Oh My Gloss! é sobre calça “destroyed” ou traduzindo, calça destruída. Eu tenho a minha opinião sobre ela, que é diferente da Dri e da Fê, mas ainda assim conseguimos chegar num consenso. Afinal, é como eu sempre digo na moda, NUNCA Diga, NUNCA!

É só olhar na foto abaixo, mas antes vamos esclarecer um ponto, quando eu falei no vídeo do que eu não gostava, eu me referia as calças “ripped Knee” que eu já falei AQUI no blog, aquelas que são realmente, profundamente destruídas, onde você pode enxergar a cor da calcinha da fulana ou quase isso.

Enfim, o bom da moda é ela ser democrática, por isso a gente fala e no outro dia paga a língua. rsrs.

Assistam o vídeo, assinem o nosso canal e recebam nossas novidades em primeira mão!!!

Destroyed jeans 1 - Luciana Micheletti

Ripped knee 1

Fotos: DQZ, Reprodução e Vídeo: Oh My Gloss!