La Pedrera/ Casa Milá

La Pedrera- DQZ- Barcelona

Por incrível que pareça, eu ainda não conhecia a La Pedrera (Barcelona), uma das obras do arquiteto catalão Antoni Gaudí, que eu sempre passava pela frente e sempre repetia a mim mesma “Um dia eu entro pra conhecer”.

Finalmente, eu resolvi acabar com essa minha pendência entre a preguiça sem explicação e a vontade real de entrar no edifício construído entre os anos 1905 e 1907, para Roger Segimon de Milà, por isso o edifício também recebe o nome da Casa Milá. Hoje ele é parte do Património mundial da UNESCO, assim como uma grande parte da obra do gênio catalão.

Assim que entramos no edifício somos levados de elevador direto para o telhado/cobertura, o que poderia ser um lugar sem graça, apenas para o uso de meia-dúzia de antenas, surpreendentemente se torna uma visão de algum filme de ficção científica, tamanha a criatividade de suas ondas e esculturas.

La Pedrera - DQZ

La Pedrera - DQZ

A seguir somos levados a um dos andares e somos apresentados ao passado, adoro imaginar como as pessoas viviam décadas passadas e não me decepciono com o que vejo. Um legítimo apartamento montado como no inicio do século XX.

la pedrera - DQZ

La Pedrera - DQZ

La Pedrera - DQZ

La Pedrera - DQZ

LA PEDRERA

LA PEDRERA - DQZ

Gaudí é tão genial que o edifíco não possue sequer uma única linha reta em toda a sua construção, e sim ondulada. Sua forte ligação com a natureza, pode ser observada em vários aspectos da sua obra.

La pedrera - DQZ

Sai da La Pedrera extasiada e me perguntando “Como eu pude demorar tanto tempo pra conhecer essa maravilha?!”. 

* Nos dias atuais apenas 3 famílias moram no edifício, o resto se tornou escritório.

LA PEDRERA

Aproveitando essa imersão no mundo extraordinário de Gaudí, fomos ao Cafè de La Pedrera, um ambiente super gostoso pra depois do passeio, optamos por almoçar lá, mas o restaurante também serve as famosas tapas.

Cafè de la pedrera

cafè de La Pedrera - DQZ

collage

SAM_0297

Fotos: DQZ

Diário de Viagem – Barcelona

Mais uma vez em Barcelona, para ser precisa – a quarta. A primeira vez em que eu estive em Barcelona foi com a Gabi, minha amiga do teatro, passamos uma semana em Janeiro e desde então Barça (para os íntimos) não saiu do meu coração.

A segunda vez, vejam vocês, foi para ir ao casamento da minha irmã que se casou com um catalão legítimo. A terceira no ano passado, foi para os meus filhos conhecerem a nova terra da tia.

Agora, a quarta foi por dois motivos especiais: o primeiro comemorar meu aniversário e o segundo conhecer a filha da minha irmã, minha sobrinha e afilhada – GRETA!!

Barcelona é uma cidade alegre, com cara de juventude. Sempre que estou aqui, não deixo de passar na Casa Batló, um marco da arquitetura catalã na cidade.

O responsável pelas formas e linhas, de uma das casas mais originais do mundo é o arquiteto Antoni Gaudí, que também desenhou a Sagrada Família, um dos símbolos da cidade.

Aqui estou eu andando pelo famoso Parc Güell, também projetado pelo arquiteto Gaudí, que se inspirou nas formas orgânicas da natureza para projetar o parque.

Cada vez que  chego à Barcelona, cada monumento que volto a revisitar, passo a admirar mais essa cidade e me apaixono ainda mais por Barcelona – terra da minha querida afilhada.

Toda obra de arte debe ser seductora y si por ser demasiado original se pierde la cualidad de la seducción, ya no hay obra de arte.

Antoni Gaudí

Fotos: DQZ