The “It” Girl

A atriz Clara Bow foi a primeira it girl da história — este termo foi criado pela romancista e roteirista Elinor Glyn que descrevia algo a mais em uma mulher, além é claro de muito carisma, elegância, inteligência, finesse, charme e educação.

Toda it girl que se prese usa todas as informações de moda a seu favor, sabe o que lhe cai bem e é referência de estilo para as outras. Seu visual muitas vezes está inserido no estilo Hi-Lo, ou seja, não é preciso estar montada 100% em grifes para ser uma bem sucedida it girl, basta misturar o Hi com marcas mais ascessíveis, como as  fast-fashion ou os brechós.

Mas, na verdade, nada disso adianta se não existir o “it“: uma verdadeira it girl é aquela que sempre que chega tem uma novidade, seja no jeito como prendeu o cabelo, na combinação das cores, nos detalhes dos acessórios ou, até mesmo, na simplicidade de um outfit. São pessoas que provocam a nossa admiração e são imitadas por onde vão.

Coco Chanel,  a eterna it girl, dizia que “Para ser insubstituível na vida você precisa ser diferente”. Seguindo esse ditado sábio, só posso dizer que ser uma it girl é muito mais do que ter um armário repleto de roupas maravilhosas e, sim, um jeito especial de ser e de tratar os outros!

A primeira de todas, Clara Bow – 1927

Carmen Miranda brilhou e encantou com seu jeitinho it

jackie Onassis e seus óculos enormes

Grace Kelly, só uma verdadeira it pode ter uma bolsa com seu  próprio nome

Siena Miller  e seu estilo Hi-Lo

Blake Lively é a gossip “it”girl 

Didi Wagner, a nossa it girl

Olivia Palermo, a personificação da It Girl

Fotos: Reprodução

O “it” post

Ah, viajar…

Entrei de férias e meu destino, escolhido por razões óbvias, foi Barcelona — minha irmã Mariana mora lá.

Minha preparação para a viagem começou na livraria. Procurando por ficções de Jorge Luis Borges, me deparei com um título muito sugestivo para qualquer blogueira fashionista: It Girl – todos os segredos de uma verdadeira it girl, de Alessandra Garattoni.

Há tempos venho querendo escrever um post sobre as chamadas It girls, principalmente diante da dúvida masculina em minha casa sobre o significado da expressão. O livro vai alem do título, com exemplos atemporais de “It” espalhadas pelo mundo afora, dicas, mandamentos e muito humor, e, de maneira direta, todas as dúvidas a respeito do tema são respondidas.

Entrei no avião lendo e terminei o livro faltando poucas horas para chegar ao meu destino, fiquei com gostinho de quero mais…

Em breve, diante da aula intensiva, finalmente escreverei meu tão desejado “it” post!

Fica a sugestão para uma leitura gostosa e esclarecedora do universo das It girls!