Uniforme Kenzista

Foto: MARCIA GAMMA

Eu sou do tipo que quando gosta, simplesmente gosta MUITO!!

E como eu havia dito no post anterior AQUI à respeito da minha mais nova paixão fashionista, a marca criada pelo estilista Kenzo Takada.

Hoje eu resolvi que é dia de mostrar meu outfit Kenzista, ou melhor dizer uniforme (tirando a bolsa) TODO o resto pertence a marca.

Esse vestido é incrível e foi amor à primeira vista, ele pode ser usado de duas maneiras, do jeito que está na foto com cinto, marcando bem a cintura ou sem cinto, completamente solto, o que muda totalmente o conceito da roupa (não tenho foto dessa maneira, mas prometo em breve colocar aqui).

Aliás, ele lembra o estilo japonismo, aquele em que Yohji Yamamoto, Rei Kawakubo e Issey Miyake, encabeçaram o movimento criado nos anos 80, onde as formas esculturais e arquitetônicas faziam parte de um novo conceito na moda.

Em 2013, o estilo voltou com força total através de Haider Ackermann, da Hermés, Pucci, Prada e Etro, que fizeram uma nova releitura do estilo.

PicFrame

E como bem disse, Adriana Bechara, editora da revista Glamour “Os japonistas impuseram um estilo urbano, assexuado, basicamente preto e cheio de volumes que apagavam as linhas do corpo para criar uma nova silhueta, mais conceitual e cerebral. A diferença é que o que vimos aqui foi um resgate traduzido para a atualidade, mais leve e menos asséptico”.

Foto: MARCIA GAMMA Foto: MARCIA GAMMA Foto: MARCIA GAMMA

Fotos: Marcia Gamma

 

Kenzo Takada

Hoje eu vou falar sobre Kenzo Takada, e, você sabe o porquê dessa escolha?!

Simplesmente, porque eu me apaixonei (mesmo que tardiamente), pelo estilista japonês nesta minha última viagem, por terras francesas.

Já há algum tempo que eu andava de olho nele, pra ser mais precisa e sincera, na sua estampa de tigre – aquela que virou objeto de desejo entre as fashionistas – pois então, até aqui tudo o que eu sabia sobre o estilista era isso. #shameonme.

Quando eu entrei na loja do estilista e me deparei com um monte de moletons com estampa de tigre, eu quase surtei (tinha de várias cores e tamanhos). Impossível se controlar com tamanha oferta, não resisti e passei a fazer parte do “rebanho da moda kenzista”.

Aí então, eu fui procurar saber um pouco sobre a marca e seu criador, que eu conto tudo aqui o que descobri sobre a sua estória.

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Sem título

Diante de tanta informação fashionista de qualidade, só posso afirmar – Agora, KENZO faz parte das minhas marcas queridinhas.

Fotos: Reprodução