Riachuelo em Nova Iorque

Riachuelo - Nova Iorque - DQZ

Untitled

Riachuelo - NY - DQZ PicFrame copy PicFrame copy 2

riachuelo - NY - DQZ r2 r4 r5

Fotos: DQZ e Divulgação

JORNALISMO DE MODA

A convite da RIACHUELO, o meu sábado começou bem cedo, mas por um motivo nobre.

Na Escola São Paulo, grandes nomes da moda foram os convidados do Seminário Internacional de Jornalismo de Moda, que contou com a ilustre presença da editora do Estúdio Berçot de Paris – Marie Rucki.

As palestras foram todas mediadas pela editora da Harper’s Bazaar Brasil – Maria Prata.

A primeira palestrta da manhã discutiu o o impacto das editoras de moda no universo jornalístico fashion, tema este comentado por Marie Rucki, que entre outras coisas, afirmou – ” Não podemos falar de moda como antigamente, a moda evolui da mesma maneira que a evolução científica”.

Marie fez primeiro um apanhado pelo passado, onde pontuou vários momentos marcantes da moda mostrando suas particulidades no tempo. Entre eles, a moda do começo da década de 40, que apenas falava sobre os trajes das muheres ricas, sem fazer uma análise de moda.

Em seguida seu foco se voltou para duas grandes editoras de moda, Diane Vreeland e Anna Wintour. Dois estilos diferentes, a primeira era uma artista brilhante, já a segunda uma pragmática, que encontrou eco com as finanças.

Passando para a segunda palestra do seminário, a nossa papisa da moda – Costanza Pascolato, falou sobre o tema as Interpretações da Moda.

Costanza, começou sua fala explicando como faz para analisar um desfile, disse que usa toda a sua bagagem cultural e intuição a favor de suas críticas na hora de escrevê-las.

Em seguida, emenda uma delas para as pessoas do ramo – ” As pessoas que trabalham na moda, são ignorantes”, elas não lêem, não vêem filmes ou se interessam em aprender.

Mas, a melhor análise foi feita sobre a saída de Nicolas Ghesquière da Balenciaga, uma marca conhecida por sua vocação de laboratório, sem apelo popular e que ao longo desses 10 anos, tendo Nicolas a frente da direção criativa, conseguiu modernizar os códigos da marca trazendo de volta a sua importância no cenário mundial.

Contudo, seu legado passa agora para as mãos do jovem Alexander Wang, o que causou uma certa estranheza no mundo da moda, devido a diferença de estilos, mas por outro lado Marie nos mostrou que a decisão não foi tomada de maneira impensada, mas sim estratégica.

O fato da marca apenas servir como laboratório, toma agora um novo rumo mais comercial com a direção de Wang, que além de possuir tino apurado, ele se introduziu e hoje faz parte de uma sociedade de jovens, ricos e influentes, capazes de influenciar as massas.

A terceira palestra contou com a presença do sempre simpático – Dudu Bertholini, onde o tema foi editoriais de moda.

Para Dudu, o importante no trabalho de stylist é entender o público alvo e mirar o objetivo final. Ele, prefere atualmente ser chamado de Image Maker ou Criador de Imagens, afinal esse é o seu trabalho, quando uma roupa desfilada precisa de uma imagem marcante para se tornar desejada, tudo isso é feito através de um editorial.

Eu particularmente, adoro ouvir o que o Dudu tem para dizer e, é por isso que eu gravei um pouquinho da sua fala sempre alegre, simpática e inteligente.

Agora com vocês meus momentos de TIETE…

E por fim, as minhas amigas de seminário – Paula (blogueira), Fê (diretora de conteúdo de mídias sociais) e Marcia ( jornalista).

Love, LuMich

Fotos: DQZ

Trocando os papeis

Uma ideia e lá fomos nós duas executá-la.

A DramaQueen e a ShoeLover nos papeis trocados, como seria eu de Fran e ela de LuMich?!

Foi como uma brincandeira de criança…eu invadi o closet da minha amiga blogueira e adoradora de sapatos, Fran Monfrinatti.

Ela invadiu o meu closet de DramaQueen.

Etapas: Primeiro, cada uma criou os seus dois looks. Segundo passo, foi o momento do make up fofocando no banheiro e em seguida o terceiro e último passo, as fotinhos.

Falando sobre  ela: eu sou fã do estilo da Fran, acho que ela é uma das poucas blogueiras que consegue misturar estampas improvavéis e ainda assim ficar super estilosa – aliás, isso não é para qualquer mortal. Ela mostra que não precisa estar montada em grifes caras, para estar bem vestida.

Afinal, dinheiro não compra estilo.

Grau de dificuldade do desafio: Entrar nas roupas da magrela, com aquele corpinho de modelo, confesso que quase deprimi, quando comecei a experimentar as roupas dela, por muito pouco não me internei num Spa.


 Fran vestida de LuMich, com vestido Juliana Jabour para a Riachuelo

 

Fran vestida de LuMich,  blazer Zara, legging Bo.Bô e sapato Studio TMLS

Sempre respeitando o seu estilo…ela ficou linda vestida de LuMich. A Fran tem um dos blogs mais legais da blogosfera, vale muito a pena conhecer o SHOE LOVER!!!

Ele faz parte das minhas leituras diárias e eu sempre me inspiro com seus looks originais. Aliás, a Fran é um amor de pessoa.

Agora a minha versão LuMich vestida de Fran Monfrinatti, com calça Daslu e camisa Kinca

Segunda versão com calça Daslu e camisa La Paiva

Gente, eu fiquei igualzinha a Fran…vou rever meus conceitos com estampas e investir muito mais nelas.

ADOREI essa brincadeira!!

Fotos: DQZ e Shoe Lover