Valorizando a silhueta

Quando eu faço o estudo de Consultoria de Imagem, uma das primeiras análises é sobre o biotipo da cliente. Por que?! porque é fundamental saber ao certo, as particularidades do corpo. Vou me usar como exemplo: sou uma baixinha de pernas longas e tronco curto.

Sempre vou ter a tarefa de esconder minhas imperfeições, que estão situadas sempre em volta da barriga, tenho pouca cintura (quando engordo um pouco, ela some de vez), por outro lado, posso abusar das minhas pernas, que são finas (tipo siriema), o que facilita o uso de todo o tipo de roupa mais curta, do que comprida.

Sendo assim, prefiro optar por proporções que valorizem este meu biotipo. Minha escolha pelo short evidência isto, além de vestir uma blusa de corte reto, que não marca a minha cintura. O resultado fica harmonioso. Depois é só enfeitar, com colar.

LuMich DIP_2854 DIP_2835 DIP_2818 DIP_2858

Fotos: DQZ

A verdade atrás do meu segredo em usar um Wrap Dress

Imagine um vestido que seja tudo ao mesmo tempo agora. Esse vestido só poderia ser um legítimo Wrap dress, criado por Diane Von Furstenberg em meados dos anos 70, quando a moda seguia por um caminho mais alternativo e hippie.

Mas, para DVF toda mulher precisava explorar mais a sua feminilidade e ela sempre dizia: Feel like a woman, dress like a woman. Não é à toa que sua invenção vendeu mais de 5 milhões de peças até 1976.

Atemporal, clássico e por incrível que pareça se adequa a qualquer tipo de corpo — porque um de seus segredos é o fato dele ser tresspassado em frente ao peito e ter uma amarração lateral, definindo a cintura e disfarçando qualquer excesso de peso — o verdadeiro curinga para qualquer hora do dia ou da noite.

E esse é o meu segredo, vestir um wrap dress sempre que a ocasião necessita ou quando a minha feminilidade aflora, afinal de contas, quando eu me sinto mulher, eu me visto como uma mulher!!

LuMich e seu DVF wrap dress

DVF

O democrático Wrap dress feito para todos os tipo de silhueta

Fotos: Reprodução e DQZ