Definitivamente, é indispensável visitar o lado argentino das Cataratas. O melhor para quem está hospedado do lado brasileiro, é “alugar” um motorista para levar para o outro lado. Foi exatamente isso o que fizemos.

Acordamos bem cedinho e saímos rumo a Argentina, o trajeto leva umas duas horas, mas vale cada minuto. O bom de ir com um motorista credenciado é poder passar pela imigração argentina mais rápido, afinal existe uma fila para esses profissionais, o que agiliza bastante a passagem ~ mas claro, existem outras opções de transporte, como ônibus, carro particular, taxi, etc.

Chegamos no Parque e fomos direto pegar o trenzinho ~ esse trem demora para chegar, formando uma fila bem grande, os intervalos são de 30 minutos, por isso o melhor é ir direto para a Garganta do Diabo ~ foi o que fizemos. Ah, existe um trilha para quem não tem paciência de ficar esperando a sua vez de entrar no trem, porém ela é bem longa, e, eu não arriscaria, a não ser que você adore uma caminhada.

Mas não se empolgue, o fato de pegar o trem não te deixa na boca do gol, ainda é preciso andar bastante por passarelas, até finalmente chegar no seu destino. E que destino. O lado argentino te proporciona uma experiência ainda mais selvagem, afinal a proximidade com as quedas são impressionantes e aterrorizantes ao mesmo tempo.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A minha sensação quando cheguei próxima da Garganta do Diabo foi de puro êxtase, nunca vi uma queda d’água tão poderosa em toda a minha vida, eu simplesmente fiquei maravilhada. É tudo tão grande, tão forte, tão escandalosamente lindo, que fica difícil saber se a gente admira o local, mesmo tomando aqueles espirros de água das quedas na cara, ou se paramos para tirar fotos. Na dúvida faça os dois.

Depois de conhecer o ponto alto do parque, se prepare para andar ainda mais. Existe outros dois circuitos para conhecer: superior e inferior. Um passa por dentro da mata e outro por passarelas, não deixe de caminhar pelos dois, a vista por outros ângulos das cataratas é tão bela quanto a principal, durante a caminhada você vai se deparar com cachoeiras menores, precipícios, fora a sensação de estar muito próximo da natureza.

Pelo parque existem algumas lanchonetes e restaurantes para turista, eu recomendo fazer um pit stop para devorar uma empanada de queijo e deixar o almoço para um restaurante argentino de carnes no caminho de volta. Pelo menos foi isso o que fizemos.

Agora, vá preparado psicologicamente para caminhar muito se você quiser conhecer tudo, porque o passeio é cansativo, mas deslumbrante, com toda certeza. Eu não deixaria de conhecer todos os cantinho do parque, afinal a cada pedaço é uma surpresa da natureza. Deixe para descansar no hotel.

SAM_2895

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Fotos: DQZ/Reprodução

Posts relacionados

  • Meu primeiro vlog
    Toda blogueira que se preza, tem que arriscar, por isso, meu desafio nessa viagem para Foz do Iguaçu foi criar o meu primeiro VLOG ~ Vlog pra quem não sabe é um espaço ultra democrático, onde você pode expor as... Continue lendo
  • Cataratas do Iguaçu {lado brasileiro}
    Conhecer o Brasil é um desafio enorme para qualquer viajante, são tantos lugares incríveis, que escolher um só destino é como o filme ” A Escolha de Sofia”, onde a Meryl Streep tem que se decidir entre ficar com... Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *