É longe, muito longe, mas certamente vale a pena. Conhecer Kakku é uma aventura, em todos os sentidos. A logística parece maluca, mas funciona: barco, ônibus de turismo e lá se vão umas 3 horas (aproximadamente), até o nosso destino.

Kakku fica fora do roteiro turístico, não é o típico passeio para quem visita Inle Lake. Localizado nas colinas do Estado de She Shan, o lugar reserva uma grande surpresa, um  santuário do século XI, onde as estupas são as estrelas – nada mais nada menos do que – umas 2000 delas, devidamente enfileiradas.

IMG_8402

Mas antes de chegar, uma paradinha para a foto, bem no meio da plantação de girassóis. Coisa mais linda a paisagem.

IMG_8619

IMG_8622

Para fazer essa visita, é necessário ter um guia da etnia Pa-O, esses foram os meus simpáticos guias. Cheios de simbologia, eles deram uma lição de história, falaram sobre a lenda que alimenta suas origens e surpreenderam na hora de falar outro idioma, o inglês.

IMG_8565

Bom, mas agora vamos ao que interessa – KAKKU – melhor do que falar é ver, por isso aproveitem as fotos.

IMG_8593

IMG_8537

IMG_8603

IMG_8545

IMG_8609

IMG_8453

Fotos: DQZ by LuMich

Categorias: Viagens
Publicado por Lu Mich

Posts relacionados

  • Myanmar – uma viagem à antiga Birmânia
    Foram 4 cidades, alguns vários voos internos e muitos templos. O cansaço por tantos voos, tantas andanças, definitivamente não foi motivo de problemas ou de menos entusiasmo, para desbravar Myanmar. Viajei em grupo, com mais 13 mulheres, cada uma... Continue lendo
  • Já ouviu falar de Aung San Suu Kyi?!
    Impressionante, como a nossa noção de mundo, muitas vezes é pequena e tacanha, imaginamos que tudo acabe bem depois da curva. Por isso, muitos dos que lerem este post, provavelmente nunca ouviram se quer falar dela na vida, se... Continue lendo
  • Yangon – cidade do passado
    Grande expectativa para chegar a Yangon, afinal essa seria a nossa primeira cidade em Myanmar. Saímos do aeroporto direto para o mercado, não dava pra perder tempo com check- in, isso ficaria pra depois. Aliás, a nossa viagem foi... Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *