Adoro chegar em uma cidade e não saber muito sobre ela, gosto de sair perguntando e “catando” dicas com amigos, concierge e turistas, assim como eu. Por isso, dessa vez aqui no Porto não foi diferente. Fico um pouco incomodada com um roteiro já todo pré-estabelecido, claro ele precisa minimamente ser organizado, porém aberto a mudanças de última hora e novas experiências imperdíveis.

Meu “City Sightseeing” começou pelas ruas de Vila Nova de Gaia, Eu e o Beto fomos descendo as ladeiras até chegar na frente do teleférico da cidade, subimos novamente para a cidade alta, demos uma voltinha pela area, tem um mirador para olhar a cidade do Porto (logo na frente), mas nada mais, então atravessamos a famosa Ponte Dom Luis I.

Um verdadeiro cartão postal, ela foi projetada, a quem possa interessar, por Théophile Seyrig e inaugurada em 1886. A ponte fica cheia de turistas durante o dia e noite. Rola muitas fotos por lá, porque lugar é simplesmente lindíssimo.

Pelas ruas…pelas casas velhas…

Catedral da Sé do Porto

Nosso segundo passo foi andar, andamos muito por toda a cidade, se você tiver disposição esse é o melhor meio de transporte. Conseguimos conhecer toda a Cidade Velha dessa maneira – ok, fiquei com os meus pés cheios de bolha, juro, mas a culpa foi do pisante, inapropriado para tal caminhada – por isso, nada de querer ficar muito fashion, pense no conforto. Nossa primeira parada, foi na Catedral da Sé do Porto, um dos monumentos mais relevantes da cidade:

“Construção granítica robusta, imponente, insere-se dentro da categoria de igreja-fortaleza, como era característica das construções românticas da época. Uma vez que para além da observância do ritual religioso, não raras vezes as igrejas e catedrais eram chamadas a desempenhar funções na geoestratégia militar dos territórios, devido aos constantes ataques árabes, que no caso do Porto ocorriam sobretudo por voa marítima”.

Portugal/porto

SÉ CATEDRAL DO PORTO ? **************************************** Um dos monumentos mais relevantes da cidade, a sua história encontra-se fortemente ligada com o advento da nacionalidade portuguesa. É preciso recuar até o século XII, mais precisamente até 1113, data em que a Rainha D.Teresa concedeu o senhorio do burgo do Porto ao bispo D. Hugo, monge beneditino que pertencia ao Mosteiro de Cluny, para além da doação do território, D.Teresa incentiva D.Hugo a edificar a Sé do Porto, disponibilizando para o efeito rendas elevadas do erário régio. **************************************** #portoportugal #wanderlust #globetrotter #triparoundtheworld #tripadvisor #viajarfazbem #viajarpelaeuropa #viajarpelomundo #sedoporto

A photo posted by L u M i c h e l e t t i ? (@lu.mich) on

O Claustro

A entrada na Catedral é de graça, já o Claustro ao lado é pago. Nada exorbitante, alguns poucos euros (não lembro ao certo, mas deve ter sido uns 3 euros). Muitas pessoas por conta desse valor, batem em retirada – não façam isso – o Claustro é um lugar encantador, suas paredes cobertas de azulejos e sua arquitetura, fazem valer cada euro. Fiquei encantada e até, tirei foto para um “look do dia” improvisado.

“O Claustro da Sé do Porto foi concebido ao modo gótico e a sua construção iniciou-se em 1385, por intermédio do Bispo D.joão III. É constituído por dezesseis arcos ogivais geminados”.

collage

Majestic Café

Depois de uma bela caminhada, chegamos em frente ao tradicional Majestic Café, o estabelecimento preserva exatamente as suas instalações originais, desde a sua inauguração em 1921.

Sempre haverá fila na porta, mas não desanime, entre nela e aguarde uns minutinhos, a rotatividade é alta, até porque as pessoas querem mesmo é conhecer o lugar, peça um cafezinho e um misto quente, são deliciosos. Aproveite para fotografar o lugar, tem cheiro de história no ar.

Saindo do nosso pit stop estratégico, fomos conhecer uma livraria incrível, mas esta estória vai ficar para o próximo post. Continue lendo…

Fotos: Instagram @Lu.Mich/Lu.Mich

Posts relacionados

  • Six Senses no Vale do Douro
    Honestamente, não sei se amei mais o lugar, o hotel ou os dois juntos, provavelmente a última opção. Não sou chegada nessa vida bucólica, ligada ao campo e seus prazeres, sou totalmente urbana, ligada no 220 volts de potência.... Continue lendo
  • Lisboa, sua linda!
    Tudo o que eu mais queria, era que desse tempo de ficar em Lisboa, nem que fosse um único diazinho durante as nossas férias. Não estava programado um pit stop por lá, mas sabe como é? A gente faz... Continue lendo
  • Conhecendo Portugal – De Norte a Sul
    Qualquer motivo serve para uma viagem, por isso esta viagem será de lua de mel (isso significa, viajar somente com o Beto, sem crianças), de aniversário (faço 4.4 no exato dia da chegada em Portugal) e, de muitos outros... Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *