Diante de uma enxurrada da mais nova mania entre as blogueiras começar, vamos voltar primeiro ao tempo, mais precisamente à década de 80.

Pra começar a estória, é preciso que se saiba que não tinha pra mais ninguém, além de JANE FONDA naquela época, ela era a rainha do fitness, do corpo malhado e da vida saudável.

Eu era apenas uma pirralha, magrela e a última coisa que poderia se passar pela minha cabeça era me matar na academia de tanto fazer ginástica.

Pra dizer a verdade, as meninas naquela época faziam ballet, assim como eu, que frequentava as aulas de ballet do Municipal de São Paulo – 09 entre cada 10 meninas queriam entrar nele.

Mas, eu para ser sincera não era das mais aplicadas bailarinas.

Um dia meu professor de ballet, percebeu que eu estava fazendo graça na aula, parou, pediu para a pianista tocar, (sim, tínhamos pianista ao vivo tocando na aula) e lá fui eu na frente da sala sozinha fazer os pliés recebendo carinhosamente a varinha do professor na minha bunda.

Não demorou muito para eu abandonar ele e a varinha.

Depois disso, tentei o jazz – tão procurado quanto o ballet entre as meninas – nesse eu me dei muito melhor, achava as aulas bem mais animadinhas, tinha uma turminha e devo ter feito por um bom tempinho, até ir parar nas aulas de vôlei da escola.

Imagina um fracasso?! essa era eu como atleta do time da escola. Obviamente, ninguém fazia a menor questão da minha presença, eu logo percebi e cai fora – e devo confessar que não fiquei com traumas daquela época, afinal de contas, vamos ser honesta, eu era muito ruim.

Passado um bom tempo de férias dos esportes, resolvi me matricular em uma academia.

Eu devo ter pago, aqueles famosos planos de 12 meses e devo ter ido ao todo uns 10 dias.

Até este ponto da minha vida, tudo ainda permanecia em cima e durinho. Mas como tudo que é bom dura pouco, depois de virar mãe, uma, duas vezes as coisas ficaram um pouquinho mais complicadas pro meu lado.

Precisei voltar pra academia, só que dessa vez pra valer.

Comecei a treinar com um personal, porque pagando eu era obrigada a me levantar da cama de qualquer jeito e ir pra academia. Tudo foi indo como o previsto.

Nesse último ano eu abandonei mais uma vez a academia, tive uma recaída de rebeldia, fiquei alguns meses totalmente de férias, inclusive da dieta.

E o estrago foi grande…

Eu acho que o pior (no meu caso) é não entrar nas roupas com uma certa folga, baixinha com cinturinha de barril, isso acaba com a minha auto-estima.

Conclusão: voltei pra academia, dessa vez sem personal, não quero saber de ninguém no meu pé.

Por isso diferente das musas blogueiras do fitness, que assinam os seus projetos com incentivo à determinadas partes do corpo, como por exemplo #projetobundadura, #projetobarrigasarada.

Tem ainda aquelas que colocam seus próprios nomes, como #projetolalanoleto ou #projetocarolbuffara.

Sobre o MEU projeto, eu fiquei pensando qual seria o nome?! e cheguei a conclusão nostálgica, ele só poderia ter o nome da minha musa dos 80’s, afinal de contas ela está no auge dos seus 75 anos com corpinho de 25.

Chegar nessa idade com esse corpão, não é pra todo mundo – definitivamente.

Meu projeto é a longo prazo, obviamente, me conhecendo do jeito que eu me conheço, sei que vou ter algumas recaídas de rebeldia contra a academia, vou abandonar a dieta milhares de vezes, blasfemar contra a minha cintura de barril, até voltar ao equilíbrio one more time.

Por isso, eu escolhi esse nome.

#PROJETOJANE FONDAMODERNA

* E você?! qual é o seu #projeto?!!!

Fotos: Reprodução

Posts relacionados

  • Notícias do #ProjetoSemNome
    Lá se foi 1 mês, desde que eu iniciei o meu projeto, conhecido pela alcunha de #ProjetoSemNome. Para quem não entendeu o motivo deste nome (sem nome), eu explico – estava eu cansada de nomear tudo o que é... Continue lendo
  • As mudanças no meu corpo – dos 20 aos 40
    Eu sempre ouvi as mulheres mais velhas, falarem sobre a maldição da “tal mudança” no corpo feminino, quando chegamos a determinadas idades. A bem da verdade, essa maldita maldição existe, provando que a lenda é verdadeira. Ou seja, sinto... Continue lendo
  • Dificuldades de dieta de uma wanderlust
    “Oh vida, oh céus, oh azar… isso não vai dar certo!” como é difícil seguir uma dieta quando se está viajando. Ponto. Malhar então, é mais do que impossível, chega a ser escandalosamente, ofensivo de absurdo. De novembro para cá,... Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *